sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

a valorização do "ter"

       
       Hoje em dia se vê nas propagandas uma constante associação de um produto a um estilo de vida, uma forma de expressão, uma personalidade e atitude. Essa estratégia usada para atingir e persuadir o público é um reflexo da importância que a possessão de bens tem na atualidade. O consumismo advém da idéia do individuo precisar ter para se tornar completo, para obter aprovação do grupo - para ser feliz.
       Esse conceito, integrante da mentalidade da maioria de nós hoje, que nos julgamos e julgamos aos outros com base nas posses materiais move todo um sistema baseado no consumo. Essa necessidade de se ter é que gira a grande roda capitalista. Os mais diversos produtos surgem porque existem consumidores para eles e porque existe gente criando, ampliando e comprando empresas e negócios com o fim de lucrar cada vez mais, para poder ter cada vez mais. É obvio que precisamos comprar para viver, mas nós realmente precisamos ter tudo que temos ou almejamos ter? Não seria possivel viver com um número muuuito menor de bens? E, a questão mais importante, não seria errado e estúpido julgar e ser julgado pelo que se tem?

       O mais peculiar é que, além de todos quererem cada vez mais ter e ter, cada vez mais, todas as pessoas querem ter a mesma as mesmas coisas. O desejo da maioria acaba direcionado para determinados commodities. Istoé, todo mundo quer a mesma coisa. Pode ser um item especifico ou uma marca. E, na maioria das vezes, o que é desejado não é necessidade e não vai mudar a vida da pessoa de nenhuma forma efetiva ou crucial. Se pararmos para pensar, a cada dia acumulamos mais e mais lixo em nossas casas que, de inicio eram a última moda, e agora não servem pra mais absolutamente nada. Não precisávamos daquilo, compramos para atender um desejo, atendido o desejo a coisa se torna obsoleta.


        Quem ganha com isso são os fabricantes, produtores dos produtos, que lucram cada vez mais, enriquecendo às custas de consumidores que economizam até o último centavo de seu salário para comprar o que almeja. E quanto mais uma marca lucra e cresce, menor a concorrência e menor a necessidade da empresa de aprimorar seus produtos e dar uma boa qualidade de vida a seus trabalhadores, uma vez que essa marca acaba por comprar as outras - menores. Estagnando cada vez mais o mundo e a sociedade e aumentando as desigualdades. Em consequência disso, crescem problemas como o desemprego, a pobreza e a desigualdade social em todas as escalas.

        Entretanto, os grandes fabricantes, também prisioneiros dessa mentalidade consumista, só pensam em ganhar mais e mais capital, aumentando seu monopólio e usando da propaganda não simplesmente para falar bem de seus produtos, mas para reforçar essa mentalidade do desejo e da necessidade do desnecessário, do ter como indicador de quem você é. E é essa abordagem que vemos todo dia nas mais diferentes mídias que não nos deixa mudar essa mentalidade e perceber a pouca importância que um excesso ou tipo/marca especificos de bens materiais têm perto de tantas outras coisas na vida.
       É fato que essa forma materialista de se pensar já está mais do que incrustrada em nossas mentes, ainda mais por ser reforçada todo dia pelos meios de comunicação. Porém, precisamos parar um minuto e pensar sobre os efeitos de um estilo de vida baseado no "ter" para todo o mundo e, em consequência, para você, e tentar consumir menos. É só refletir no que realmente é importante na vida, o que é essencial e o que é de realmente grande valor, principalmente a longo prazo. Estamos cada vez mais imediatistas e materialistas. É hora de valorizar  o que realmente importa, aquilo que não é descartável e substituivel como os pertences. Troque o material pelo o humano.

2 comentários:

  1. mERCEDES pIAI bERNARDO25 de janeiro de 2010 09:49

    a VERDADE DA SOCIEDADE É "ESTÚPIDA MAS É REAL.pRECISAMOS "TER" PARA COMPETIR. aS EMPRESAS GANHAM DE "MÃOS BEIJADAS" AS IRRESPNONSABILIDADES´ DA SOCIEDADE.E APROVEITAM PARA NAS PROPAGANDAS FAZER AS "CABEÇAS"E GERAR MAIS DESIGUALDADES. nÃO HÁ RECEITA PARA TROCAR O VALOR DO MATERIAL PELO DO sER hUMANO.vC. NÃO PODE RESPONSABILIZA-LAS, ELAS TB. ESTÃO NO JOGO.hÁ DE SE FAZER UMA MUDANÇA GLOBAL, PARA UMA NOVA ESTRUTURA DE UM NOVO "sISTEMA"QUE UM DIA PODERÁ VIR! EIS A QUESTÃO...

    ResponderExcluir
  2. Concordo com você! A lógica toda em torno da qual o mundo gira tem que mudar... mas acredito que para isso a forma com que todos pensam deve mudar! Para o todo mudar uma mudança de todos é necessária, nm sei se partir do individual para o global é possivel, mas parece o caminho mais plausivel... mudança global a partir da mudança da mentalidade de cada um... Claro, talvez um incentivo externo seja necessario para tanto

    ResponderExcluir